10/12/2014

PROPTOSE OCULAR


A proptose é o deslocamento súbito do bulbo ocular, anteriormente (olho sai da órbita), com simultâneo encarceramento pelas pálpebras. Pode ser causada por traumas, problemas dentários, corpos estranhos, neoplasias e predisposição racial . Cerca de 50% dos cães afetados são braquicefálicos (focinho curto) podendo ocorrer até após traumas leves devido a características anatômicas destes animais.  A ocorrência nas raças dolicocefálicas focinho comprido) está associada com traumas graves. Nos gatos o espaço retrobulbar (atrás do olho) é limitado quando comparado aos cães, sendo que nesses, geralmente, a proptose está associada a traumas severos.



Aisha, 12 horas após trauma. Dra Fabiana Quartiero


Aisha, 12 horas após trauma. Dra Fabiana Quartiero


As proptoses requerem assistência emergencial, por proporcionar oclusão do suprimento sanguíneo, levando a danos irreversíveis ao nervo óptico e à retina, além de promover necrose corneana, ceratites por exposição, irites, coriorretinites, descolamento da retina, luxação do cristalino, avulsão óptica e, na maioria das vezes, estrabismo.

 A reintrodução do bulbo ocular é procedimento obrigatório nas proptoses, exceto nos casos associados à extrusão ou destruição de suas estruturas internas, bem como naqueles com ruptura da maioria dos músculos extra-oculares, presença de tecido necrótico ou altamente infectado ou outras complicações irreversíveis; para estes, o tratamento de escolha é a enucleação, porém em alguns casos, há a possibilidade de manutenção do bulbo ocular com propósitos estéticos.O paciente também deve  receber antibióticos, antiinflamatórios e analgésicos sistêmicos.

Quanto mais rápido o paciente é atendido por um oftalmologista veterinário, maiores as chances de recuperar a visão. Cerca de 27% dos animais não recuperam a visão, mesmo após traumas leves e atendimento especializado emergencial.


Aisha, 10 dias após a cirugia na Clínica Veterinária 4 Patas.
 Dra Fabiana Quartiero


 REFERÊNCIAS:


BRANDÃO, C. V. S., RANZANI, J., MARINHO, L., RODRIGUES, G., & CREMONINI, D. (2005). Proptose em cães e gatos: Análise retrospectiva de 64 Casos. Archives of Veterinary Science, 10(1).

 GELATT, K.N. Doenças e cirurgia da órbita do cão. In: ____. Manual de oftalmologia veterinária. 3. ed. São Paulo: Manole, 2003. p.39-42.