29/05/2012

ATROFIA PROGRESSIVA DE RETINA (APR) EM CÃES

     A APR é uma doença degenerativa hereditária que acomete os dois olhos e leva à cegueira. As raças mais acometidas são os Cocker spaniel ingleses e americanos, Poodles miniaturas e Labradores retrievers. Mas é importante lembrar que qualquer raça pode ter esta doença, até os nossos queridos "vira-latas". A idade com que apresentam os primeiros sinais clínicos da doença variam com a raça, mas é geralmente até os 5 anos de idade. Infelizmente é uma doença que não tem cura ou controle, mas é muito importante o diagnóstico correto para que os animais afetados sejam retirados da reprodução.



    No início da doença ocorre perda da percepção visual noturna pela displasia precoce dos bastonetes (nictalopia) e em seguida a perda da visão diurna pela degeneração dos cones (hemeralopia). Algumas vezes os animais afetados têm dificuldade de ver objetos em movimento. A partir do momento em que a doença é diagnosticada é muito difícil determinar quanto tempo levará para o cão ficar totalmente cego. Em geral, quanto mais jovem, mais rápida parece ser a progressão.




Normalmente os sinais de cegueira são percebidos somente quando há uma mudança na rotina da família ou de ambiente.  Os cães compensam muito com a audição e o olfato. Por isso, os cães se orientam muito bem, mesmo quando estão enxergando muito pouco. Mas acidentes podem acontecer, sendo importante fazer um check up oftalmológico sempre que houver a desconfiança de algum déficit visual. Somente com o exame do fundo do olho e/ou com a eletrorretinografia (exame do potencial elétrico da retina) a atrofia progressiva de retina pode ser diagnosticada.


Nos casos onde já houve uma perda visual importante alguns cuidados devem ser tomados: andar sempre com o seu cão na guia, não deixar livre acesso à piscina, escadas e rua. E nunca é demais relembrar: NÃO  reproduza estes animais. As chances de ter filhotes com a mesma doença são altíssimas.