04/02/2012

E VOCÊ? O QUE PENSA SOBRE EUTANÁSIA?

Na rotina de atendimentos ouço histórias e lido com este tema frequentemente . Portanto, hoje decidi postar partes de um texto que li e gostaria de compartilhar com todos. Para mim todo ser vivo merece receber tratamento digno e amor até o último momento, enquanto houver a mínima esperança...


...E VOCÊ? O QUE PENSA SOBRE EUTANÁSIA?




Por que o proprietário decide que seu animal deve morrer?

-Porque está muito velho, surdo, quase cego, ou CEGO e caminha com dificuldade e " ele não pode suportar" vê-lo nestas condições, recordando os momentos felizes que passou vendo-o brincar quando era jovem.

-Porque, ainda que seja jovem, "ele não tolera " vê-lo com esse aspecto horrível da enfermidade da pele, crônica e tão rebelde aos tratamentos e que, por outro lado, produz um cheiro tão desagradável, "pobrezinho"(?).

-Porque a enfermidade é grave, com poucas possibilidades de ser superada e "ele sofre muito" pensando que, após tanta luta e dor, de qualquer forma seu animalzinho pode morrer.

-Porque a situação familiar derivada da preocupação pela enfermidade do animal, "tornou-se insustentável".

-Porque, sinceramente, crê que existe uma possibilidade de poupar sofrimentos supostamente inúteis em um animal que ama de verdade.

-Porque aceita o conselho do médico veterinário , após ter esgotados todas as tentativas de tratamento. Inclusive após ter ouvido a opinião de colegas médicos veterinários especialistas.

Os quatro primeiros casos _ cujos argumentos tenho ouvido, quase textualmente, com muita freqüência _ são o resultado de uma atitude absolutamente egoísta, referindo-se à preocupação que o dono tem pelo seu próprio bem-estar e esquecendo de considerar quem de fato necessita. Quem nos deu tantos momentos felizes durante muitos anos, merece que dediquemos alguns meses de esforço e alguma preocupação para ajudá-lo a transitar sem dor pelos últimos momentos de sua vida. O ser que nos orgulhou com sua beleza não merece ser condenado à morte porque momentaneamente não satisfaz às necessidades estéticas de nossa vaidade. Nossa própria dor pelo enfermo que sofre não pode ser contemplada antes da dor do enfermo, porque é ele quem necessita de ajuda. E a situação familiar? Muitas vezes se invoca a presença das crianças, para as quais a situação resultaria uma experiência desagradável. Porque não aproveitar para brindá-las com um exemplo de solidariedade para com aquele que sofre e de amor pela vida?

Poucas pessoas ignoram que os cães percebem nossa atitude, ainda que não façamos absolutamente nada, de maneira que é evidente que "sabem" o que vamos fazer e quando começamos a fazê-lo. Quando chamamos nosso cachorro para sair para passear, ele vem imediatamente, porém quando o chamamos para tomar banho (quando não gosta de banho) ele se esconde, ainda que nosso tom de voz possa ser igual. Quando o levamos ao consultório do veterinário, resiste a passar por este lugar, ainda que o caminho seja o mesmo que fazemos para levá-lo à praça. Há ainda muitos outros exemplos. Como podemos pensar, então, que ele não sabe que vamos matá-lo? Ele sabe disso e nenhum sofrimento físico é comparável com a angústia que este fato lhe produz. Quem já olhou nos olhos de um cão neste momento, não esquecerá jamais este olhar. Eu nunca o esquecerei...

E, se eles conhecem as nossas intenções, como vamos abandoná-los justamente quando mais necessitam de nós? Não somos capazes de dedicar-lhes alguns dias, horas ou semanas, enquanto eles foram capazes de dedicar-nos toda sua vida?


Adaptado do texto: EUTANÁSIA ANIMAL
Juan Agustín Gómez
(Médico veterinário homeopata argentino que reside e clinica há muitos anos no Rio de Janeiro)

5 comentários:

Juliana Elias disse...

Uma das coisas que eu sempre pensei sobre a eutanásia, é que ela só é aceitável quando serve para acabar com um sofrimento desnecessário dos animais... Sempre em último caso e quando há garantia que não existe recuperação... E eu sei que a Dra. Fabiana sabe disso muito bem, depois de ter quase que literalmente ressuscitado um cãozinho que havia sido deixado para eutanásia e hoje está lindíssimo e em perfeitas condições, vivendo uma vida feliz até com uma irmazinha felina!!

Importantíssimo esse texto! Está lindo o blog!!,

Gaby disse...

Eu também penso assim, meu labrador só tem 2 anos e esta com cinomose, tem 1 mês que estamos fazendo tratamento e meus pais desde o começo falaram que é melhor sacrifica-lo por ele esta sofrendo muito,não faz mais nada do que ele gostava e costumava fazer, ele está com espasmos na cabeça, perdeu as forças das perninhas de trás e deu ulcera de córnia que mesmo tratando agravou-se e o deixou cego.
Estamos na fase que suspenderam os tratamentos de injeções e mantendo algumas vitaminas e remédios diários para ver como ele vai reagir, acho que esta melhorando, sinto que já esta com mais forças nas perninhas, mas continua com os espasmos, acho que vai ser umas das sequelas da doença.
Enquanto ele estiver lutando para sobreviver quero ajuda-lo,dar todo o carinho e suporte que ele precisar ,mas tenho medo de só estar prolongando o sofrimento dele, confesso que já fiquei muito abalada e pensei na Eutanásia mas não tive coragem de tirar a vida do meu bebe que tanto me deu amor, e que na hora que ele mais precisava de mim o sacrificaria, tenho cuidado e dado muito carinho a ele e vejo que esta melhorando, mas as vezes penso se não é egoismo meu tentar manter ele a meu lado a todo custo....

Gostaria de saber também se tem como reverter a cegueira dele, como disse ele teve ulcera de corneá nos dois olhos, começou com um esbranquiçado no olho direito e depois de 1 semana de tratamento apareceu também no esquerdo o veterinário passou trobex, atropina, still e epitezan, de 12 em 12 hras, mas mesmo assim os olhos dele foi abrindo um buraco e agora está todo branco e parece que tem uns machucados que esta sangrando....como se tivesse machucado ou como se a veia tivesse estourada,durante as 3 semanas de tratamento não vi muita melhora mas ele estava enxergando ainda, mas começou a bater nas paredes e objetos, perguntei para o veterinário e ele falou q ele ainda enxergava ou ao menos via os vultos,e pediu para manter só a epitezan e 1 semana depois já tinha piorado tanto q levou ao estado de branco total e as manchas de sangue que cada dia parecem mais ele lacrimeja muito, o veterinário suspendeu o tratamento dos olhos e falou que não dá pra fazer mais nada, gostaria de saber te tem cirurgia ou algum outro tratamento e quanto custa.....se ñ tiver gostaria de saber como adaptar minha casa e as nossas vida a ele...

Obrigada pelo blog muito instrutivo e pelo desabafo.

Ricardo Domingos disse...

Sendo veterinaria a 3 anos logo que me formei em veterinaria um cliente chegou com uma cadela com um raquitismo muito grande, e ele queria que eu sacrificar e eu disse que não iria fazer e ele dexou a cadela para que eu cuidasse e fiz tratamento dela durante 4 meses e ela ficou boa e levei a uma esposição ela ganhou 1 lugar de uma esposição internacinal
valei a luta Ricardo Domingos

Oftalmologia Animal disse...

Olá gaby,

Já lhe respondi por e-mail. mas gostaria de enfatizar que enquanto o paciente se alimenta bem e não tem dores intrtatáveis vale a pena a luta.

Fico feliz e lhe dou os parabéns pelo amor com que trata o seu filhote.

Um abraço

Fabiana Quartiero

Oftalmologia Animal disse...

Boa noite Ricardo,

Parabéns pela consquista!

Um abraço,

Fabiana Quartiero