14/07/2010

EMERGÊNCIA OFTALMOLÓGICA: DESCEMETOCELE

Em casos de úlceras de córnea profundas (veja mais no post: doenças oftalmológicas-úlcera de córnea-constituição da córnea), onde o estroma (segunda camada da córnea) é completamente destruído, a membrana de Descemet (penúltima camada da córnea) se projeta para fora a fim de tamponar a lesão. Assim ocorre a descemetocele, que nada mais é do que uma defesa da córnea para tentar evitar um quadro de perfuração ocular. Por isso que a descemetocele é considerada uma emergência cirúrgica.

As fotos abaixo são do Pierre, um Shih Tzu de 4 anos. Ele chegou apresentando um quadro de descemetocele no centro da córnea, com edema difuso (córnea sem trasparência, toda azulada) e vascularização corneana (Figura 1 e 2). O proprietário relatou que há 10 dias vinha apresentando "coceira" neste olho e "piscava" muito. Notou também que havia secreção, o olho estava vermelho, "irritado" e que o Pierre estava muito "chateado". Estava usando uma pomada antibiótica a cada 12 horas. Foi realizado um flap de conjuntiva bulbar em 360° (Figura 3) e prescrito tratamento tópico intensivo, com colírios antibióticos fortes (quinolonas), inibidores de colagenase, lubrificantes e anti-inflamatórios não esteroidais.

Na sequencia: Figura 1, Figura 2 e Figura 3

Após 3 semanas o flap foi removido e a lesão estava cicatrizada. Note a aderência da conjuntiva no local onde a membrana de Descemet estava exposta (Figura 4).

Na sequencia: Figura 4, Figura 5 e Figura 6


Após a retirada do Flap foi iniciado um tratamento a base de colírios anti-inflamatórios corticóides. Em 15 dias a córnea já estava transparente, apenas com um leucoma central (opacidade ocasionada pela cicatriz) (Figura 5 e 6). O Pierre atualmente consegue enxergar sem problemas.


OBS: " Quando o estroma corneano é destruído, o reparo é realizado por ceratócitos fixos e fibroblastos. As fibrilas colágenas produzidas por estas células não se organizam de forma regular e interferem na passagem da luz. Com o tempo as cicatrizes podem clarear, mas quase sempre este clareamenro é incompleto. A tendência ao clareamento é maior em animais jovens e ocorre mais em bovinos, ovinos e felinos do que em caninos e equinos" ( Fonte: SLATTER, 2005).

9 comentários:

Lisane disse...

Por favor peço que me indiquem um veterinario oftamologista em Brasilia. tenho uma york que de repente ficou com o olho branco tipico de cataratas. estou assustada pela velocidade que isto se instalou. desde já agradeço.
ps: telefonei para Dra paula Galera 31072821 conforme ja indicado por voces, mas ninguem responde. teria outro numero ou medico?

Oftalmologia Animal disse...

Boa noite Lisane,

O único contato que tenho é da Prof Paula:

Universidade de Brasília, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinaria, Departamento de Medicina Veterinária.
L4 norte - Hospital Veterinário
Asa Sul 70390-125 - BRASILIA, DF - Brasil Telefone: (61) 33072986
Homepage:http://www.unb.br/fav/

Um abraço e Boa sorte,

Fabiana Quartiero

Anônimo disse...

Dra. Fabiana, boa noite.

Por que o uso da atropina e indicado por ate 5 dias? quais as complicações que esse medicamento pode acarretar?

Obrigada,

Marcela

Oftalmologia Animal disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Oftalmologia Animal disse...

Bom dia Marcela,

De forma geral passamos esta orientação para os proprietários e os clínicos gerais pelos riscos de diminuir a produção lacrimal e aumentar a pressão intraocular. Uma gota de atropina 1% pode manter a pupila dilatada por 7 dias! Mas sendo acompanhado de perto por um oftalmologista que monitore a pressão intraocular com um tonômetro e observe a produção lacrimal pode ser usada por mais dias de acordo com o caso.

Um abraço,

Fabiana Quartiero

s disse...

Por favor Dra Fabiana tem algum contato em caxias do sul? tenho uma cadelinha que adotei e esta com úlcera ocular. Andou fazendo tratamento mas ate agra nada e gostaria de um especialista. Obrigada Susie

Oftalmologia Animal disse...

Bom dia Susie,

Infelizmente ainda não. As pessoas tem que vir para Porto Alegre.

Se precisar de mais informações pode me mandar um e-mail: fabianaquartiero@hotmail.com

Um abraço,

Fabiana Quartiero

Anônimo disse...

Como diferenciar entre cicatriz cirúrgica pós descemetocele e início de catarata?
Minha lhasa fez cirurgia em Marília, igual a descrita e agora tenho observado modificação na cicatriz. Está mais esbranquiçada. Me mudei e estou morando em salvador.
O que vc mer recomenda?

Oftalmologia Animal disse...

Boa noite,

A catarata se forma dentro do olho, no cristalino. As cicatrizes são na córnea, parte mais externa do olho. O oftalmologista veterinário durante o exame poderá lhe dizer se além da cicatriz está também se formando uma catarata ou não. Na Bahia consulte com o Dr Paulo oliveira.

Um abraço,

Fabiana Quartiero